1 de ago de 2009

Sacramentos

Orientações Comuns para todos os Sacramentos

Os Sacramentos e sua recepção são atos de fé e não apenas atos sociais. Portanto, recomenda-se:

• a preparação interior deve ser a principal, e não apenas os trajes e a ornamentação. Recomenda-se um discreto decoro.

• devem ser evitados o luxo e a ostenção, que são totalmente contrários ao espírito do Evangelho.

• toda a assembléia presente seja motivada a ser participante e não apenas assistente da celebração.

Orientações Específicas:


Como Jesus Cristo amou a Igreja e se entregou por ela, assim o Sacramento do Matrimônio quer ser a expressão desse dom e desse amor que se concretiza naqueles que querem assumir com maturidade a Aliança de amor entre um homem e uma mulher, numa comunhão total de duas vidas em vista de construir uma família verdadeiramente cristã (cf. Ef 5,33).

Para casar na Igreja, os noivos devem ser pessoas que se esforcem para viver o seu compromisso cristão: pessoas batizadas, convêm que sejam confirmadas, perante a Eucaristia.

Música:


Durante a celebração, devem ser executadas músicas compostas para uso da Igreja, não sendo autorizadas músicas profanas.

Local da celebração do Matrimônio:


A própria celebração dos sacramentos prepara os fiéis do melhor modo possível para receberem a graça, cultuarem devidamente a Deus e praticarem a caridade. Por isso:

• A celebração do Matrimônio deve ser realizada na Paróquia da noiva ou noivo, como expressão da participação e comunhão na vida da comunidade. Todo Pároco, Vigário Paroquial e Diácono, devidamente jurisdicionados pela Cúria, presidem validamente à celebração do Matrimônio dentro da sua Paróquia.

• Tendo feito, o processo matrimonial, o Pároco do noivo ou da noiva pode autorizar, por escrito, aos noivos, a celebração do Matrimônio em outra Paróquia.

• Para presidir validamente à celebração do Matrimônio fora da sua paróquia, qualquer sacerdote ou diácono precisa da jurisdição do respectivo Pároco local, por escrito.

• Seja entregue aos nubentes, após a celebração, uma Certidão do Matrimônio religioso.

• O matrimônio contraído seja anotado no livro dos batizados, onde o Batismo dos cônjuges está registrado. O Pároco do lugar da celebração comunique, quanto antes, ao Pároco do lugar do Batismo a celebração do Matrimônio.

Casos de Desquitados e Divorciados:

O Pároco estuda pessoalmente, ou com recurso à Cúria Arquidiocesana, com atenção e misericórdia, os casos de desquitados, divorciados, casados só no civil, que desejam contrair Matrimônio na Igreja. Os que são casados na Igreja, agora desquitados ou divorciados e desejam participar da vida paroquial, sejam tratados com caridade, observando-se o que estabelece a Santa Sé, lembrados que “o filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido”(Lc 19,20). Realizem-se encontros dos que estão morando juntos para que regulamentem sua situação.

Amasiados e divorciados recasados não podem ser absolvidos, nem comungar.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA O CASAMENTO RELIGIOSO


Para que o casamento religioso se realize sem nenhuma interferência, são necessários os seguintes documentos:

• Certidão de batismo atualizada, de ambos os noivos;

• Cópia da carteira de identidade dos noivos e padrinhos;

• Comprovante de frequência do curso dos noivos;

• Protocolo do processo civil;

• Dispensa emitida pela autoridade competente, caso haja algum impedimento, como parentesco de terceiro grau, religiões diferentes, etc.;

• Autorização dos pais ou responsáveis para os noivos, caso sejam menores de 21 anos.

A entrada dos documentos pode ser protocolada na paróquia onde residem o noivo ou a noiva. Para casar fora de sua igreja, é necessário que os noivos solicitem a transferencia para a paróquia escolhida.

Os noivos não batizados precisam procurar o pároco seis meses antes do casamento, para regularizar a situação.

O curso de noivos é condição obrigatória, procure então informações na secretaria de sua paróquia na Igreja Católica.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA O CASAMENTO CIVIL


Há pessoas que se casam só no civil; outras casam no civil um ou dois dias antes da cerimonia na igreja e outras, ainda, no mesmo dia que na igreja.

Caso você escolha casar no civil, mas fora do Cartório, o escrivão habilitado levará o livro de registro de casamento no lugar combinado e fará a cerimonia. Você terá que pagar uma taxa por esse serviço, mas em compensação a cerimonia ficará mais íntima e aconchegante.

Quando se casa dentro do próprio cartório, não é preciso usar um vestido de noiva, mas o ideal é que seja uma roupa branca e especial para esse dia, pois a noiva deve sempre ficar mais destacada do que os demais.

Ao procurar o Cartório, você terá que comparecer com duas testemunhas, que não podem ser os pais dos noivos e que devem ser maiores de 21 anos. Todos deverão apresentar a Carteira de Identidade.

O prazo para ficar pronto o documento do civil varia de Cartório para Cartório.

Documentos necessários:

1. Cópia autenticada da certidão de nascimento dos noivos.

2. Cópia autenticada da Carteira de Identidade dos noivos (tire frente e verso do mesmo lado).

3. Cópia de um comprovante de residência dos noivos (luz, telefone, etc).

4. Cópia de identidade dos padrinhos (que servirão somente para ajudar a tirar os dados na hora de preencher os formulários).

OUTRAS PROVIDÊNCIAS


Se estrangeiro:

• Levar cópia autenticada do Registro Nacional de Estrangeiros (RNE).

Se viúvo:

• Levar cópia autenticada da certidão de casamento anterior e da certidão de óbito do cônjuge.

Se divorciado:

• Levar cópia autenticada de certidão de casamento anterior e da averbação do divórcio (no verso da mesma).

Se menor de 18 anos (maioridade civil):

• Estipula o Código Civil que menores relativamente capazes (idade compreendida entre 16 e 18 anos de idade) podem casar. Para tanto, devem comparecer ao cartório competente acompanhado(s) dos pais ou responsável(eis) legal(ais) e dos respectivos documentos de identificação (Cédulas de Identidade) de ambos. Caso um dos pais do noivo(a) seja(m) falecido(s), então, somente o responsável(eis) civil(is) ou tutor(es) deverá(ão) levar(em) fotocópia(s) autenticada(s) do termo de nomeação de tutela juntamente com sua(s) respectiva(s) Cédula(s) de Identidade.

ALIANÇA


Ela pode ser lisa ou trabalhada, fina ou grossa, de ouro amarelo às mais modernas, com pedras preciosas, ouro branco e designs modernos: há modelos para todos os gostos, estilos e bolsos. Mas, colocada no dedo anular da mão esquerda, a aliança tem um único significado: o seu formato redondo, sem cantos, e sem começo e nem fim, denotam a eternidade, ou seja, é o sinal do compromisso de amor e fidelidade assumido entre os noivos, um símbolo que os irá acompanhar por toda a sua vida em comum.

EM PAZ COM O CALENDÁRIO

Não precisamos dizer que a contagem regressiva, enlouqueceu o calendário nos últimos tempos, pois vemos noivas contratando alguns serviços com um ano e meio de antecedencia, e deixando outros que antes tinham prioridade para o final da lista. Dicas para você não errar:

• Verifique se o profissional que você optou por contratar é muito solicitado, se ele trabalha sozinho, ou forma uma única equipe, procure priorizá-lo;

• Se trata de uma empresa, verifique quantos eventos ela assume por data;

• Se optar por escolher o modelo, cores e estilos mais próximo de Evento, não esqueça de confirmar a contratação para garantir sua reserva, deixe só os detalhes para véspera;

• Enfim: Curta cada minuto, e faça desta contagem regressiva um raro prazer, sondando os profissionais e delegando os melhores serviços que serão prestados a você neste momento marcante. Isto sim garantirá tranquilidade e segurança.

• No grande dia, acorde tranquila e confiante de que tudo aquilo que você planejou vai dar certo e não esqueça de se comprometer em ser feliz

Nenhum comentário:

Postar um comentário